Monday, May 21, 2018

Já viu algum ser vivo luminoso?




Tenho recebido muitas descrições de avistamentos de vaga lumes e de outros seres bioluminescentes. Mas relanço aqui o assunto (para o corrente ano de 2018)...
Quem tiver visto alguma coisa  e quiser partilhar o seu achado,  tente, se possível, responder às seguintes questões:
1- Local e hora do avistamento (o mais pormenorizado que poder indicar, melhor).
2- Condições atmosféricas (se estava a chover, húmido, seco, temperaturas (aproximadamente)...)
3- Condições de luminosidade do local (se tinha iluminação artificial perto, longe ou nenhuma, se sim de que côr era a luz).
4-Que tipo de luminosidade (produzida pelo ser vivo) foi avistada? Qual a côr? Piscava ou mantinha-se sempe acesa? Apresentava pulsares?
5- Quantos seres luminosos (aproximadamente) viu a produzirem luz?
6- Em que habitat estava o ser luminoso (floresta, campo aberto, berma de caminho, praia, mar, etc...)? 
7- Por fim diga-nos o que é que o ser luminoso estava a fazer (a comer, a acasalar, a descansar, a andar, a nadar, a voar, etc...)?

As suas informações são muito importantes, pois geralmente muito pouco se sabe sobre estes seres misteriosos. 
Pode também dar um relato mais sintético sem responder a algumas das questões. 
Em muitos locais do mundo se assiste a diminuição notória do número das espécies luminosas e assim se vai perdendo um dos maiores espetáculos da natureza...
 Mas ainda estamos a tempo de inverter essa tendência!

Para saber mais detalhes sobre o que poderá estar a encontrar, pode consultar livremente o nosso guia sobre os pirilampos de Portugal e mais algumas formas de bioluminescência em Portugal (que foram publicados já em Julho de 2014) emBioluminescência terrestre em PortugalGuia dos pirilampos de Portugal e Bioluminescência marinha em Portugal.

Envie as informações de preferência por email para: livinglightfestival@gmail.com
Ou então pode deixar a sua mensagem nos comentários (embaixo).

Obrigado!!








18 comments:

Tânia Cardoso said...



Tenho visto larvas e adultos de pirilampo por aqui (perto de minha casa).

Na ultima sexta-feira vi o que me pareceu serem larvas de Lampyris, eram umas 22 horas, e tirei umas fotos que lhe vou enviar.
O tempo estava fresco e húmido (uns 14ºc) e foi bem longe de luzes artificiais.
Sobre os adultos, tenho visto tanto os de luz intermitente como os de luz contínua.

Uma média de 200 por noite (desde a última semana para cá) piscam (perto de minha casa, que é uma zona mista de pinhal, sobreiros e carvalhos). Para a semana espero ver mais.
Dos constantes tenho visto cerca de 20-25, por noite, mas o numero varia mais do que com a primeira espécie.

Espero que ajude, vou-lhe enviar fotos e agradeço identificação, se possível.

Obrigada.

Fernando Martim said...


Boa tarde

Por acaso, até tenho visto, ainda que não tenha saído muito (infelizmente).

Vou enviar-lhe um email com uma descrição simples.

lightalive said...



Muito obrigado, Rita e Fernando!

Alexandre P. said...


Boas notícias!

Tenho visto por aqui pirilampos de luz contínua que me parecem ser Lamprohiza.

No ano passado, os pirilampos que encontrei perto deste sítio, foram identificados pelo seu projecto como Lamprohiza mulsanti.

Tenho visto regularmente uns 5 ou 6 por noite... Por vezes mais, e na noite seguinte mudam de lugar...

Posso dizer que brilham imenso e vou tentar manter o lugar protegido.

Obrigado.

Alexandre P. said...


Ah e se calhar não deixei claro, mas foi no meu jardim que os encontrei.

Tenham um bom dia.

lightalive said...


Bom dia Alexandre


Muito bom, grandes notícias mesmo!

Se tiver interesse e disponibilidade, seria interessante ir observando (nem que seja 2 vezes por semana) essa população, já que está presente no seu jardim.
Isto porque não se sabe muito sobre a Lamprohiza mulsanti.

Obrigado.

Rita Fernandes said...


Boa tarde a todos


Já encontrei alguns, ainda que em Maio de 2017, aqui na minha zona, creio que vi mais.

Terá sido por causa da primavera fresca e chuvosa?

Alexandre P. said...


Boa tarde

Da minha parte, não tem problema algum, posso observar os pirilampos do meu quintal, até mais do que 2 vezes por semana...
Pelo menos, enquanto não for de férias (só lá para Agosto).

lightalive said...


Rita: Talvez e obrigado pelo testemunho e email que me enviastes!


Alexandre: Obrigado pela sua colaboração!



Tânia Cardoso said...



E continuo a ver muitos pirilampos por aqui... Agora o numero subiu um pouco! Devem estar para atingir o auge.

Tânia Cardoso said...


Ah, e obrigada pelas identificações que fez aos pirilampos que fotografei aqui perto de minha casa. Sempre vou aprendendo mais alguma coisa. ;-)

lightalive said...



E nós também agradecemos e vamos aprendendo com as tuas inestimáveis colaborações.


E já agora deixo aqui duas fotos, enviadas este mês (dia 2), desde a Reserva Lightalive («O Templo das Aves Canoras»), localizada em Tondela:

https://i.imgur.com/FEypWu0.jpg

https://i.imgur.com/DcZQ7ET.jpg?1

lightalive said...


E também nos foram apresentadas 2 fotos tiradas este mês, no dia 11 de Maio, no vale do Bestança:

https://i.imgur.com/lVhMb84.jpg

Aqui a larva de Lampyris sp. está a fazer-se de morta (segundo o autor das fotos, João Pedro):

https://i.imgur.com/Pc5YPm1.jpg

PS: Tenho recebido ultimamente várias fotos e relatos, mas não posso publicar aqui tudo, por razões de vária ordem.

Pleia Des said...


Boas fotos!

Tenho visto aqui (perto de Coimbra) vários pirilampos, inclusive os que piscam, que agora tornam-se ainda mais numerosos.

Posso enviar-lhe uma descrição mais detalhada, se quiser.

PS: Também tenho visto pirilampos parecidos com os das fotos colocadas logo acima.

Rita Fernandes said...


Devo ir a Espinho, existe a possibilidade ver alguma coisa, por lá, nesta altura do ano?

lightalive said...



Pleia Des: Obrigado, pelo email enviado. A tua colaboração é essencial!



Sim, Rita, tenho relatos de pirilampos até mais a Norte (em Avintes) e em fases anteriores, por isso, em princípio não deverá haver problema em observá-los em Espinho, por esta altura.

Por exemplo, a 26 de Maio, recebi isto do Vitamos:

«Estarreja, dezenas de pirilampos nos campos. Luz branca intermitente lenta.

lightalive said...



No último dia 15 de Junho, Paulo Martins, enviou-nos estas duas fotos, desde Estói (Faro):

http://tinypic.com/r/1e8ggg/9

http://tinypic.com/r/21ditxu/9

Trata-se de uma fêmea adulta de Nyctophila reichii.




Rita Fernandes said...


Linda!

Por aqui ainda não vi nenhuma.