Saturday, November 14, 2015



                                                              Terry Lynch




Friday, October 23, 2015



                                 Video com cortejo nupcial de pirilampos




Friday, October 09, 2015


Em cooperação com a nossa iniciativa, desde os USA, está este projeto levado a cabo por Terry Lynch:


http://byteland.org/biolights/page02.html



Friday, October 02, 2015
















Existem espécies de peixes abissais que usam campos visuais desconhecidos para as suas presas, como está explicado aqui. Este peixe em cima (Aristostomias sp.), consegue iluminar o seu caminho e apanhar uma presa, utilizando uma luz vermelha, que é emitida por órgãos luminosos situados debaixo dos olhos.




Wednesday, September 30, 2015



Na China, o primeiro parque temático do mundo dedicado aos pirilampos, esteve para ser inaugurado este ano, mas foi cancelado, porque grupos de conservacionistas chineses não gostaram da ideia, pois consideram que este tipo de turismo possa ser prejudicial para o ambiente e possa apresentar problemas de segurança. 

O cancelamento, deixou muita gente desiludida, pois mesmo antes da abertura do parque, todos os bilhetes de acesso ao parque já tinham sido vendidos. 

Zhu Xiangyu, o diretor da Qinghuan Volunteer Service Center (uma organização ambiental sediada em Nanjing) e um dos patrocinadores de uma petição online para bloquear a abertura do parque dos pirilampos (Shanghai Park), diz-nos: « Nós pedimos ao público para se manter longe deste tipo de observação de pirilampos. As pessoas pensam que é romântico, mas é letal».

Nem todas as caminhadas terminam bem. Este último verão, uma multidão desapontada, destruiu um campo onde existiam pirilampos, após ficarem 2 horas sem ver qualquer pirilampo, de acordo com Xinhua, uma agência de notícias estatal.  

Os organizadores disseram que tal se deveu às temperaturas demasiado frescas e devolveram dinheiro aos visitantes.
Em Wuhan (em Maio de 2015) cerca de 5.000 pessoas colocaram-se junto à entrada de um parque de pirilampos, no seu dia de abertura e muitas entraram antes que os portadores dos bilhetes pudessem ter acesso ao seu interior. Quem conseguiu entrar, o que viu foi um caminho de cerca de 50 metros, com redes finas em todos os lados, para previnir a fuga dos poucos pirilampos presentes.
«Cerca de 90% do turismo em torno dos pirilampos na China, é falso. Eles apenas apanham pirilampos da Natureza e colocam-nos dentro de uma «tenda» diz-nos o Sr. Xu do Nanhu Firefly Park. Mas nem todos os parques são assim, e alguns apenas optam pela observação de animais livres e em estado selvagem.
Zhu (diretor do Qinghuan Volunteer Service Center) conta-nos que «para ajudar a controlar as multidões, voluntários das universidades guiam os visitantes e as autoridades e têm impedido veículos motorizados de invadir a zona de um parque de pirilampos em Nanjing, que se tem tornado bastante popular». 
E acrescenta: «muitas pessoas já não trazem lanternas, mas o problema é que são demasiadas, por vezes até 10.000 pessoas só na época de reprodução dos pirilampos».

Outros problemas, são o pisoteio exagerado (pois fêmeas e larvas permanecem no solo durante praticamente todo o ano), o manuseamento dos animais e a remoção da camada superior de folhas e húmus. As florestas não são para ser tratadas como jardins!






Friday, August 07, 2015