Thursday, June 30, 2016




http://www.cm-lisboa.pt


No passado dia 17 de Junho, participei na coordenação técnica de uma visita de campo para ver pirilampos, numa iniciativa levada a cabo pelo Centro de Interpretação do Parque Florestal de Monsanto (Câmara Municipal de Lisboa).

Foi um tempo realmente bem passado, não só porque vimos vaga lumes, mas também porque houve uma grande adesão do público, com pequeninos e crescidos, a mostrar uma curiosidade aguçada e grande interesse em conhecer melhor (ao vivo), o mundo secreto dos pirilampos.




  

15 comments:

Da Guerra said...

Localizei um pirilampo (Lamprohiza Paulinoi) noite de 3/7/2016 Casa Branca, Montemor-o-Novo.
Foi a primeira vez no Alentejo que vi um.

Rita Fernandes said...
This comment has been removed by the author.
Rita Fernandes said...



Muito bem, parabéns pelo evento.


Da Guerra: Bom achado!

Geog M. said...


Conheço quem foi e adorou (especialmente a caminhada até ao lago).

Parabéns e que se realizem mais iniciativas dessas!

Fernando Martim said...


Muito bem!

Quando souber de uma próxima saída, diga-me alguma coisa (via email).

Obrigado.


PS: Seja bem vindo/a, Da Guerra.

Tânia Cardoso said...


Bela iniciativa!

A ver se também participo na próxima saída.

M. Resende said...


Prezo em saber sobre a caminhada educativa.

Aqui ainda se vêm alguns.

Mas provavelmente aqui há menos que por aí.

lightalive said...


Obrigado a todos!


Da Guerra, seja bem vindo e agradeço o testemunho.

Para ajudar a identificar a espécie, pode ver o «Guia de algumas espécies de pirilampos de Portugal» que existe neste blog (basta usar a pesquisa no canto superior esquerdo da página principal do blog).

Tânia Cardoso said...


Por aqui ainda vão aparecendo pirilampos com uma luz bem intensa e contínua.


Na aldeia da minha avó viam-se muitos às vezes, mas já não vou lá há algum tempo.

Pleia Des said...



Por aqui, ainda há coisa de uma semana, vi alguns pirilampos, numa mata aqui perto (nas margens de um pequeno ribeiro).
Penso que brilhavam através de pulsares e não deu para identificar os responsáveis, pois depois apagaram e não nunca mais os consegui localizar novamente. Parece-me que brilharam assim que inadvertidamente me aproximei.

A ver se um dia volto lá e consigo perceber o que é.

Pleia Des said...


E já agora, fico muito contente pelo evento que protagonizou, pois assim mesmo é que deve ser!


Gostaria de saber se é normal, observar luzes continuas quase sempre no mesmo lugar, durante 3 noites seguidas e depois na quarta noite, estas luzes desaparecerem?



lightalive said...



Sim, pode ser que os machos tenham encontrado as prováveis fêmeas que emitiam essa luz e uma vez logrado o acasalamento, elas (normalmente) deixam de brilhar dessa forma.

Pleia Des said...


Sim, faz algum sentido, até porque só as vi a brilhar durante aquelas 3 noites. Regularmente visito aquele local, e antes não estavam lá.

lightalive said...


A 16 de Junho, James (desde Viana do Castelo), enviou-nos esta descrição:

«Avistei esta noite, pela segunda vez este ano, um grande grupo de pirilampos a voar.

Que vieram dar um brilho mágico a esta noite muito húmida e algo fria.»

lightalive said...
This comment has been removed by the author.