Saturday, March 28, 2015


Inverno de 2015 deixa-nos com 2 novidades:



1- Centenas de larvas de pirilampo foram avistadas e reportadas, em várias partes do país, com novos registos para algumas localidades. Obrigado a todos pela colaboração e apoio!


2- A Câmara Municipal de Lisboa está de parabéns, por conjuntamente comigo, ter intervido numa parcela florestal (imagens temporárias embaixo, depois colocarei fotos mais detalhadas), no sentido de inverter a situação de pré-extinção de várias populações locais de pirilampos. É possível a coexistência pacífica de animais bioluminescentes com os humanos, mesmo em áreas urbanas. Obrigado por tudo!















15 comments:

Gonçalo Lemos said...

Boa noite

Gostaria de trocar umas informações consigo sobre pirilampos para um artigo.
O meu contacto é omaildoglemos@gmail.com
Obrigado
Gonçalo Lemos

Rita Fernandes said...
This comment has been removed by the author.
Rita Fernandes said...

Muito bem!

Então e esse pedaço de habitat recuperado para a conservação dos pirilampos, fica em que zona?

Desculpe a curiosidade e responda se quiser.

Obrigada e um bom dia.

lightalive said...

O espaço verde recebeu uns melhoramentos importantes, está mais rico, auto-sustentável e agradável de se ver. Os solos foram enriquecidos com manta morta, e foram plantadas espécies de plantas que anteriormente cresciam no local.
Existe agora uma estruturação de habitats mais próxima da original.

Fica na zona de Santa Maria de Belém.



Fernando Martim said...

Está de parabéns, meu caro.

É isto que faz falta a tanto projeto científico e de investigação no nosso país e no mundo em geral: a educação, mas também a conservação.

Muitos cientistas apenas gostam é de publicar em revistas científicas as suas descobertas, para ter lá o seu nome e encherem-se de orgulho perante outros (os seus colegas, amigos/familiares e ex-professores, por exemplo).
Mas o que acontece é que apenas um numero muito limitado de pessoas é que tem acesso a essas publicações, e portanto têm pouca importância prática... Mais ainda, quando nos dias que correm, quem pode fazer algo pela proteção dos animais, normalmente não anda de volta dessas revistas especializadas, com acesso limitado.

lightalive said...

Por vezes é necessário publicar os nossos achados em revistas científicas, mas acho que se deve dar uma maior cobertura nos media sobre as descobertas, senão o trabalho do investigador fica em risco de se tornar irrelevante e inútil.

Pleia Des said...

Gostava depois de ver mais fotografias.

lightalive said...

Sim, claro.

Brevemente irei publicá-las.

Fernando Martim said...
This comment has been removed by the author.
Fernando Martim said...

Sim, concordo.

Pleia Des said...


Ok.

Tânia Cardoso said...

Parabéns! :-)

Rita Fernandes said...


Obrigada, pela resposta.

José Veloso said...

Compreendo bem o que é falado, pois é preciso haver publicações em artigos científicos de acesso limitado e por outro lado divulgação nos media.
Nunca esquecendo a educação e até transmissão de conhecimento à população, para que cada um possa ajudar individualmente ou em conjunto de algum modo, em prol da conservação ou da não perda contínua da biodiversidade para as gerações futuras.
Mas já não se trata apenas de espécies, é muito mais, é o clima a mudar, é a nossa alimentação, até o que vestes está em causa, a casa chamada Terra como a conhecemos está em risco, a nossa existência está em causa.
É preciso mudar hoje para que amanhã não seja tarde de mais.

Parabéns e obrigado a todos que colaboram de alguma maneira, dando parte do seu tempo e empenho para a conservação e proteção do meio ambiente.
Cumprimentos.

lightalive said...


Concordo com tudo José.

E obrigado pelos seus emails, espero responder-lhes dentro de muito em breve.