Saturday, August 29, 2009

Época dos pirilampos adultos no fim


A maior parte dos pirilampos adultos já cumpriu a seu ciclo de vida.
Este ano, teve um pouco menos de pirilampos que o ano passado, mas ainda é cedo, para tomar alguma conclusão.
O ano foi seco é um facto, mas não se sabe se foi essa a única causa.
Agora os ovos jazem debaixo do solo, mais protegidos da desidratação e dos calores do estio, «adormecidos» enquanto as chuvas não chegam.
Algumas crias nascem durante o verão, mas permanecem escondidas em zonas frescas e húmidas..
A chuva irá libertá-las (mais tarde) dos seus abrigos e fazer com que se vejam as suas luzes, na superfície da floresta.




                               













                                         Foto de fêmea adulta de Nyctophila reichii (Marc Blanco)




5 comments:

Fernando Martim said...

Acontece os machos serem atraídos pela luz de fêmeas de espécies diferentes?

lightalive said...

Às vezes, sim.

Pleia Des said...


^Interessante.

lightalive said...
This comment has been removed by the author.
lightalive said...


Mensagem enviada por Frederico a 2 de Fev. de 2009:


«Parabéns pelo estudo. Sei que no nosso país os insectos estão muito mal estudados, bem com as plantas avasculares, os líquenes, os fungos, etc... Fazem falta imensos estudos deste género e não tenho dúvidas que ainda há muitas espécies por identificar no nosso país.


Quando era criança recordo-me de ver muitos pirilampos no Verão na serra do Caldeirão, junto de uma aldeia chamada Cintados, na zona de Tavira. Havia umas galerias ripícolas com freixeiros e loendros junto à ribeira do Beliche onde eles se concentravam.


Eu recordo-me que tinham uma luz amarelada. Já não me recordo bem se estava sempre acesa, já foi há muito tempo! Lembro-me de no crepúsculo no Verão ir à ribeira e ver passar no caminho a voar pouco alto uns insectos brilhantes amarelos.

Mas não era em Agosto que eu os via!!! Era por volta de Maio/Junho! Até porque em Agosto não ia à ribeira porque estava praticamente seca!»