Friday, March 23, 2007

Internacional


Desde Kitakyushu, Japão.

No Japão, em uma região rural de Kitakyushu, muitas pessoas começaram a ficar doentes e algumas morreram . Nesse dado momento, os pirilampos também começaram a desaparecer. Toda a comunidade local  ficou preocupada com essa situação e decidiu investigar o que estava matar os pirilampos e as pessoas. Não durou muito tempo, até se aperceberem que era a poluição do rio Kokumano que estava não só a poluir as culturas que eram irrigadas (com as suas águas) mas também a destruir a fauna e flora locais. Antes de tal acontecer, essa região era um paraíso, em que as pessoas iam pescar ao rio e admirar também as luzes dos pirilampos e o canto das aves. A partir dos anos 60, as condições começaram a degradar-se, o rio recebeu descargas poluentes da indústria local. Uma floresta mais perto da sua nascente foi totalmente abatida e as chuvas arrastaram assim os desprotegidos solos e encheram o rio de lama. Nos anos 70, iniciou-se uma campanha: grupos de mulheres, idosos e crianças juntaram-se para plantar vegetação nas suas margens, para retirar o lixo e educarem a população para a questão da poluição. Admirada e sensibilizada, a Administração da cidade de Kitakyushu reagiu e colocou um sistema de desvio de águas, que direcionava a água dos desperdícios urbanos para fora do rio, indo para uma zona de tratamento de águas.
1200 larvas de pirilampo foram libertadas nos anos 80 pela Sociedade de estudo de pirilampos. Apenas 20 emergiram como adultos. Mas as notícias de que os pirilampos estavam de volta espalharam-se rapidamente! Posteriormente, procedeu-se a um processo de «naturalização» das margens do rio, em que foi reconstruído o habitat com pedras, com a plantação de vegetação nativa local e o nivelamento das margens do rio. Em 1981, já foram observados 300 pirilampos adultos perto do rio Kokumanu. Eventos culturais, festejaram o sucesso desta iniciativa, criando o Festival dos Pirilampos, que em Junho de 1981, atraíu mais de 10.000 pessoas. Devido a estas ações, tal situação atraíu investimentos de empresas que doaram ajudas para a reabilitação ambiental desta região. Agora já atrae mais de 40.000 pessoas! O renascimento e reaparecimento dos pirilampos, tornou vivo o sucesso da proteção ambiental e juntou as pessoas num movimento ambiental e cultural, sem precedentes.As aves voltaram, os peixes e os pirilampos também. As árvores crescem verdes e fortes.O pirilampo tornou-se o símbolo no Japão, de união e harmonia entre o Homem e outros seres vivos.



Pirilampos estão de volta a Kitakyushu




3 comments:

Fernando Martim said...

Uma lição de vida essa reportagem

Fernando Martim said...


Interessante como tudo acabou.

Se calhar de outra forma, não teria sido devidamente valorizado.

lightalive said...


Concordo, Fernando.

Estes acontecimentos ajudaram a fortalecer os laços dentro da comunidade local e a valorizar a importância da conservação ambiental. Não se trata apenas de uma questão de estética e de ética, é também uma questão de sobrevivência.